Usiminas Mecânica terá nova fábrica de vagões em Congonhas-MG

01-02-2012 12:21

Vagão do tipo GDU, um dos modelos atualmente fabricados pela Usiminas Mecânica.

 

A Usiminas Mecânica, empresa de bens de capital do grupo Usiminas, acaba de assinar um Memorando de Entendimento com empresa RCC Holding para a viabilização de uma fábrica de vagões no município de Congonhas-MG. O acordo prevê que a RCC Holding invista R$ 32 milhões na infraestrutura da nova fábrica, que ocupará um terreno de 102 mil m2 (11 mil m² de área construída). Mediante a concretização do projeto, a Usiminas Mecânica planeja iniciar a operação da fábrica já a partir do 2º trimestre de 2012. A capacidade instalada será de até 3 mil vagões/ano, possibilitando a fabricação de até quatro modelos simultaneamente.


O objetivo da Usiminas Mecânica é agregar ainda mais conteúdo tecnológico à sua produção de vagões. A estrutura planejada para a nova fábrica inclui sistema de jateamento e pintura, oficina para montagem e teste de freio e área para armazenamento de vagões prontos. A localização do empreendimento também é um diferencial competitivo: às margens da MG-030 e próxima a uma ferrovia de bitola mista da MRS, permitirá a disponibilização dos vagões produzidos diretamente na linha férrea.

Aço

Com a efetivação do projeto, o aço para fabricação dos vagões será fornecido pela Usiminas. Além disso, componentes como travessas, laterais, hastes de ligação, engates e braçadeiras serão produzidos pela Linha de Moldagem Automatizada da Fundição da Usiminas Mecânica, em Ipatinga-MG, inaugurada recentemente em dezembro/2011. “Esta nova fábrica, somada aos investimentos já realizados na linha de fundição, poderão posicionar a Usiminas Mecânica em um novo patamar de valor agregado na produção de vagões. Ampliaremos as oportunidades de negócio a partir de soluções mais completas”, afirma Guilherme Muylaert, diretor executivo da empresa. A estimativa é que, no início da operação, sejam contratados cerca de 180 profissionais, com preferência para mão de obra local. No pico da produção, a unidade contará com aproximadamente 600 empregados.

 

Mercado

Com o mercado cada vez mais aquecido, a Usiminas Mecânica já está com uma carteira superior a 700 vagões, dentre eles 447 vagões telescópicos para Eldorado Celulose e 220 vagões GDU para a Vale, cuja produção é realizada pela fábrica de Santana do Paraíso-MG. De acordo com previsão da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), a demanda média para os próximos 10 anos é de 4,5 mil vagões/ano.

 

A Usiminas Mecânica

A Usiminas Mecânica é uma provedora de soluções em bens de capital e serviços que agrega valor ao aço produzido pela Usiminas. Possui experiência de 40 anos em projetos industriais complexos, com foco nos segmentos de infraestrutura, energia, petroquímico, naval siderurgia, mineração. A empresa está estruturada em cinco unidades de negócios - Pontes, Estruturas Metálicas e Blanks; Equipamentos e Negócios em Siderurgia; Montagens Industriais; Fundição e Vagões e Manutenção.

 

 

Localizada na região Central de Minas Gerais, a 73 quilômetros de Belo Horizonte, Congonhas possui 48 mil habitantes. “Além da criação de postos de trabalho, o empreendimento amplia o portfólio industrial da cidade, fortemente baseado na mineração. Nosso objetivo estratégico é transformar a região num pólo de alta especialização em serviços associados à mineração”, afirma Anderson Costa Cabido, prefeito de Congonhas.

 

Para isso, foi criado o Parque Tecnológico do Vale do Paraopeba, iniciativa do Consórcio de Municípios para o Desenvolvimento do Alto Paraopeba (Codap), presidido por Cabido, em parceria com a Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ), Secretaria de Estado de Ciência Tecnologia e Ensino Superior, Fapemig e Polo de Excelência Mineral e Metalúrgico. Em 2012, entrará em operação uma incubadora de empresas. O Prefeito destaca a localização estratégica do município, servido por três ferrovias com conexão com os principais portos. Ele cita ainda o Codap, um modelo inédito no País, criado em 2008 com o objetivo de fazer a gestão associada de serviços públicos sem duplicar despesas. “A região está recebendo investimentos de R$ 25 bilhões”, afirma Cabido.

 

Fonte: Imprensa Usiminas